terça-feira, 7 de outubro de 2008

Assento vazio

Uma cadeira Maldita Está tornando-se perigoso sentar na cadeira de presidente da Câmara de Vereadores de Rio Branco.

Desde Bené Damasceno (PP), que saiu do cargo após se eleger deputado estadual, quem passou pelo assento não conseguiu um novo mandato.

Para que você não pense que o blog está tentando amedrontar os possíveis postulantes, eis uma lista dos presidentes que pegaram balsa após exercer a função: Rubenício Leitão (95/96), Gisélia Nascimento (97/00), João Angelim (2001/2002), Nuno Miranda (2003/2004), Jonas Costa (2005/2006) e Pedrinho Oliveira (2007/2008).

Diante dessa suposta maldição da cadeira presidencial da Câmara, a pergunta é: quem se vai se habilitar ao cargo na próxima legislatura?

Do jeito que a coisa vai, não é bom descartar a possibilidade de Cabide ser eleito.

Outra função inglória na Câmara de Rio Branco é a de líder do prefeito. Os últimos quatro líderes não obtiveram sucesso quando foram submetidos às urnas.

Marcos Afonso (PT) foi líder de Jorge Viana, concorreu a prefeito em 1996 e perdeu.

A liderança de Mauri Sérgio (PMDB) foi exercida por Raimundo Vaz, que também embarcou na balsa.

Carlinhos Santiago (PP) liderou a bancada nas administrações de Flaviano Melo e Isnard Leite e não conseguiu sucesso.

A vítima da vez é Márcio Batista (PC do B).



Um comentário:

Valden Rocha disse...

Caro amigo,

Mesmo diante das evidências da "maldição da cadeira expulsante" a dispulta será acirrada.
Não esqueça de visitar o blog www.homoabilis.blogspot.com