terça-feira, 29 de abril de 2008

Boca do Acre

Uma cidade poliglotaA cidade amazonense de Boca do Acre é apontada como a porta de entrada do Amazonas para o Pacífico.

Também é encarada como fundamental para o desenvolvimento do Acre, por meio do transporte fluvial.

Na beira do rio da cidade, um portal saúda o viajante em três idiomas – português, espanhol e inglês.

Como a imagem demonstra, algumas pessoas passam e lêem. Resta saber se entendem.

A foto é de Odair Leal.

Mastro eleitoral

Viagra na campanha ergue candidato
Para erguer suas candidaturas perante aos homens, principalmente os mais idosos, alguns candidatos a prefeito ou a vereadores poderiam copiar um exemplo que vem do Chile.

O prefeito de um subúrbio da capital chilena anunciou que irá distribuir Viagra de graça aos moradores idosos.

"O objetivo é dar à população mais velha uma qualidade de vida melhor", disse Gonzalo Navarette Muñoz, prefeito de Lo Prado, um subúrbio ao sul de Santiago.

Esse não pegou uma bandeira. Ergueu o mastro.

Leia mais.

Fim do paredão

Cuba anuncia revisão de penas de morte

De Michael Vosss De Havana para a BBC News

O presidente de Cuba, Raúl Castro, anunciou na segunda-feira que todos os prisioneiros condenados à morte no país terão suas penas revistas, com a exceção de três condenados por "terrorismo".

A maioria dos cubanos no corredor da morte terá suas sentenças comutadas para penas entre 30 anos e prisão perpétua.

O anúncio de Castro foi feito durante um discurso ao comitê central do Partido Comunista, transmitido pela TV estatal.

Durante o discurso, o presidente cubano também anunciou a realização do primeiro congresso do Partido Comunista em 11 anos.

O congresso é o mais importante órgão de tomada de decisão do Partido Comunista e deve definir a direção política futura para o país.


Razões humanitárias Raúl Castro afirmou que a decisão de comutar a pena dos condenados à morte não foi tomada por conta da pressão internacional, mas por razões humanitárias.


As únicas exceções, segundo ele, serão dois centro-americanos acusados por uma explosão a bomba em um hotel que matou um turista italiano e um cubano-americano acusado de assassinato durante uma infiltração armada na ilha.

Não existem dados oficiais sobre os condenados à morte, mas a Comissão Cubana de Direitos Humanos estima que entre 40 e 50 prisioneiros poderiam ser beneficiados.


No entanto, a pena de morte continuará existindo em Cuba. A decisão anunciada na segunda-feira é a mais recente mudança anunciada por Raúl Castro com o objetivo de suspender medidas restritivas e facilitar o dia-a-dia dos cubanos.


Recentemente, os cubanos receberam permissão para ter telefones celulares e para se hospedar nos mesmos hotéis que os estrangeiros.

Dinheiro para a Saúde

Emenda de Tião Viana será corrigida
A Emenda 29, de autoria do senador Tião Viana (PT), será colocada novamente em votação na próxima semana.

A matéria visa dotar a saúde pública com mais recursos, mas incompatibilidade em dois artigos desse projeto faz com que o setor, em vez de ganhar mais recursos, perca R$ 5 bilhões.

Leia mais.

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Marechal Thaumaturgo

Primo em campanha no Alto JuruáNo Alto Juruá, precisamente em Marechal Thaumaturgo, a campanha para prefeito começou mais cedo.

Nas humildes casas do município é possível ver afixado o calendário com a mensagem e a foto do empresário Aldemir Lopes, o Primo, apontado como o pré-candidato a prefeito do município pelo PT.

Primo conta com o apoio incondicional do prefeito petista Itamar de Sá, mas terá problemas, caso a Justiça Eleitoral entenda que está fazendo propaganda antes do tempo.

Chá com o príncipe

Binho não foi a Londres
Como o blog havia antecipado, Binho Marques não embarcou para Londres.

O governador permaneceu no Acre resolvendo questões administrativas. Também deverá receber o ministro da Cultura, Gilberto Gil, na quarta-feira.

Os irmãos Jorge e Tião Viana tomarão o chá com o príncipe Charles, na Clarence House.

O ex-governador e o senador farão exposição sobre os potenciais florestais e os avanços alcançados pelo Acre nos últimos anos ao herdeiro do trono da Inglaterra. A agenda prevê atividades terça e quarta-feira.

Festa no interior

Não há o que comemorar em 10 municípios
Há várias curiosidades sobre os dez municípios que completam 16 anos de emancipação política e administrativa hoje. Uma delas é que vários atuais prefeitos foram os primeiros administradores das localidades. Sãos os casos de Epitaciolândia, Marechal Thaumaturgo, Jordão e Rodrigues Alves.

Em todos os lugares haverá uma semana de festas, mas, analisando bem a situação de um desses municípios, não há o que festejar.

Esses municípios, principalmente os mais distantes, foram protagonistas de vários escândalos administrativos em tão pouco tempo. Alguns tiveram os seus prefeitos cassados ou condenados por improbidades.

José Ronaldo perdeu o mandato em Epitaciolândia, João Asfury em Porto Acre. Leandro Tavares e Vanderlei Sales têm condenações na Justiça e não podem concorrer em Marechal Thaumaturgo e Porto Walter, respectivamente. Em Jordão, Esperidião Menezes Júnior foi cassado e o seu sucessor, Turiano Farias, cometeu suicídio.

Primeiro governador constitucional do Acre, José de Augusto de Araújo tinha visão futurista. É tanto que, em 1963, criou os municípios de Mâncio Lima, Assis Brasil, Manuel Urbanos, Plácido de Castro e Epitaciolândia. Como fora cassado, Araújo não pôde instalar suas criações.

Os municípios criados por José Augusto foram instalados 13 anos depois, em 1976, pelo então governador Geraldo Gurgel de Mesquita. Apenas Epitaciolândia que levou mais tempo para ganhar sua autonomia.

A situação dessas localidades é semelhante à dos jovens que têm 16 anos: estão aptos a votar, mas não são considerados com maturidade suficiente para dirigir.

Os municípios não encontraram uma direção segura.
O aniversário do FelippeComo não disponho de condições financeiras para dar o mundo aos meus filhos, aproveito o espaço que tenho para mostrá-los ao universo das pessoas que lêem este blog.

Hoje, é o aniversário do Felippe.

Esse menino bonito de olhos vivos completa sete anos.

Eu fico feliz por tê-lo como uma jóia rara ao meu lado.

sexta-feira, 25 de abril de 2008

O sobreviventeEste senhor que pedala sob o sol escaldante é um sobrevivente.

Sem condições para fazer propaganda na mídia televisiva, radiofônica ou imprensa, resolveu levar sua mensagem de forma simples.

Conserta geladeira, televisão, ventilador e demais eletrodomésticos. Pelo jeito, não pode mesmo é lhe faltar energia para continuar trabalhando e pedalando.

A foto é de Marcos Vicentti.

Operação convence Zinho

César, Edvaldo e Perpétua
em Cruzeiro do Sul
César Messias (PP) desembarcou em Cruzeiro do Sul agora à tarde.

Não foi apenas visitar sua terra natal e rever amigos.

O vice-governador tinha marcada uma conversa com o empresário Zinho Santos para tentar convencê-lo a entrar na disputa para a prefeitura do município.

Santos, no entanto, estava em Tarauacá. A conversa será no fim de semana.

Zinho Santos também será procurado pelos deputados Edvaldo Magalhães e Perpétua Almeida, ambos do PC do B.

O casal quer ouvir o empresário e pedir que ele se candidate. A conversa será no domingo.

O vice-governador e os deputados comunistas podem até conseguir convencer Zinho Santos a concorrer. Afinal, têm argumentos para isso.

Mas, a outros amigos, o empresário declarou que não quer entrar na política.

Ele sabe que a situação está complicada para a FPA na segunda maior cidade do Estado.
Frente com Angelim
Todos os partidos da FPA vão se reunir agora à tarde com Raimundo Angelim (PT).

O prefeito fará um balanço da sua administração e apresentará perspectivas para o futuro.

No encontro, as lideranças partidárias abrirão o diálogo para tentar garantir a reeleição do petista.

O jogo está começando pra valer.

O encontro será na Amazônia Eventos, na Estrada da Floresta.

Alerta à Justiça

Dias de festa no interior
Dez municípios acreanos se preparam para festejar na segunda-feira, quando completarão 16 anos de emancipação política e administrativa.

Os festejos serão bancados pelas prefeituras. Nesses casos, vale indagar se a Justiça Eleitoral irá tomar providências para conter possíveis abusos e proveitos eleitorais dos prefeitos.

Desses 10 municípios, sete têm prefeitos que irão concorrer à reeleição em outubro.

Eles não irão investir tanto nos festejos apenas porque querem ver os cidadãos felizes.

É claro que tentarão tirar proveitos eleitorais. Até o mais inocentes dos juizes sabe disso.

Na terra da rainha

Acreanos rumo a Londres
O senador Tião Viana (PT) embarca hoje para Londres.

Nos dias 29 e 30 terá encontro com o príncipe Charles, na Clarence House, residencial oficial do Príncipe de Gales.

Na terra da rainha, Viana falará sobre a saúde na floresta.

Outro que irá falar com o príncipe Charles é o ex-governador Jorge Viana, que fará uma exposição sobre as riquezas e os potenciais da floresta.

Viana venderá o peixe das ações desenvolvidas sobre os oito anos que passou como governador.

Na agenda de Charles também está prevista a apresentação de Binho Marques, que deve expor sobre os avanços na Educação. Mas, agora há pouco, sua assessoria informou ao editor do blog que o governador não iria viajar.


Esse pessoal do Governo da Floresta tem defeitos, mas as qualidades são superiores.


Quando um dia o acreano imaginou que políticos do Acre poderiam ser recebidos por personalidade mundial como o herdeiro do trono da Inglaterra?

Gil no Acre

O patrimônio da ayahuasca
O gabinete da deputada federal Perpétua Almeida (PC do B) articula junto ao governo do Estado para que, na vinda do ministro Gilberto Gil (Cultura) ao Acre, no próximo dia 30, várias entidades que utilizam o chá em ritual religioso entreguem um pedido para que sejam consideradas como patrimônio imaterial da cultura brasileira.

Perpétua Almeida entende que o uso do daime é parte de uma religião tipicamente amazônida.

“A utilização em rituais urbanos nasceu em Rio Branco e Porto Velho e hoje está em todo o Brasil e em vários continentes”, explica ela. A comunista mirou o alvo certo.

Será a segunda vez que Gilberto Gil pisará em solo acreano. Vamos esperar que o bom baiano dê outra canja.

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Projeto que põe dinheiro para
saúde sofre com males da políticas
O senador Tião Viana (PT) ganhou a batalha para mudar o fuso horário do Acre, de parte do Amazonas e do Pará, mas pode perder uma que mais lhe interessa: a emenda 29, que fixa percentuais mínimos a serem investidos anualmente na saúde pela União, estados e municípios corre risco de morrer pelos males provocados pela política.

O presidente Lula não está satisfeito com a aprovação da matéria no Senado e quer que seja derrubada na Câmara dos Deputados.

Lula também está chateado com a aprovação do projeto de autoria do senador Paulo Paim (PT-RS), que dá reajuste aos aposentados no mesmo patamar do salário mínimo (reajustes pela inflação, acrescidos de percentuais calculados segundo a variação do PIB). É um projeto, segundo o seu autor, que beneficiará 25 milhões de aposentados ao custo de R$ 3,5 bilhões anuais.

O governo alega que não terá dinheiro para pagar os custos com as despesas em saúde e dos aposentados.

Lula chegou a dizer que Paim e Tião são irresponsáveis, assim como todos os senadores que votaram pela aprovação das propostas.

Na matéria que mudava o fuso eu era contra o senador acreano, mas nesta que põe mais dinheiro na saúde sou completamente a favor.

É pena que o companheiro Lula pense ao contrário e tenha ampla maioria na Câmara dos Deputados.
Efeito farinha
A candidatura de João Tota (PTB) a vice-prefeito de Cruzeiro do Sul terá efeito em Mâncio Lima.

O ex-deputado federal será companheiro de Zila Bezerra (PTB), uma ferrenha opositora da FPA.

Isso inviabilizará a candidatura de José Coutinho na terra do Japiim. Coutinho teria apoio do prefeito Luiz Helosman, que é irmão de Tota.

O Acre inteiro sabe que o vice-governador, César Messias, é quem fala mais forte dentro do PP.

Ele não aceitará que Tota seja seu adversário em Cruzeiro do Sul e seu irmão indique quem vai ser o prefeito de Mâncio Lima.

É farofa política demais para aceitar.

Nessa confusão em Mâncio Lima, que poderá ser candidato da Frente Popular é o comunista Eriton Maia. Pode apostar.
Dois presidentes do PT no Acre
Marcado inicialmente para visitar o Acre no dia 3 de maio, o presidente nacional do PT, Ricardo Berzoini, poderá adiar a viagem para o dia 16.

É que no mesmo período está prevista a vinda do presidente Lula, que também é presidente de honra do PT.

Os petistas acreanos querem que Berzoini cumpra uma agenda de dois dias no Estado da Florestania..

Querem levá-lo para conhecer as obras e projetos do governo desenvolvidos no Alto Acre.

É claro que aproveitarão para dar uma esticada até a cidade boliviana de Cobija, onde comprarão bugigangas e o uísque.

Berzoini não pode é desistir da viagem. Há mais de cinco anos um presidente petista não visita a terra onde o partido, ao menos eleitoralmente, deu certo.

Uma hora a mais

Lula sanciona novo fuso para o AcreNo instante em que me preparava para encaminhar carta à ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) para que não fosse sancionada a lei que aumenta o fuso horário do Acre e parte do Amazonas em uma hora, como fizeram Altino Machado, Evandro Ferreira e Mário José de Lima, recebi uma notícia informando que a minha ação seria em vão: o presidente Lula acabara de sancionar a alteração aprovada pelo Senado.

O Acre, que passou mais de 100 anos no mesmo fuso, terá 60 dias para se adaptar. E não adianta estrebuchar mais.


Eu vou adotar a seguinte estratégia de adaptação: a cada dia aumentarei um minuto no meu relógio. No prazo estipulado pelo companheiro Lula, vou me convencer de a mudança não alterou em nada a minha rotina.

Vamos ver em quer nosso Estado melhorará. Quem sabe essa é uma das estratégias para transformar o Acre no melhor lugar para se morar a partir de 2010. O autor do projeto, o senador Tião Viana (PT), tem tudo para ser o governador a partir deste ano.

A verdade é que deixamos de ter o mesmo fuso de Nova York, o que nos dava um certo charme, para ficarmos iguais a Cobija, na Bolívia, que fica mais perto da gente.

Como diz o amigo jornalista Tião Vitor, não vai demorar muito para criarem o dia 31 de fevereiro.
A cara da malária









Essas fotos fazem parte da exposição que o fotógrafo Edmundo Caetano, 20, fez no Rio de Janeiro, na sede da Fio Cruz, este mês.

Foram imagens captadas em Cruzeiro do Sul. O profissional prestava serviço para a Drugs for Neglected Diseases Initiative (DNDi), ong que testa um novo medicamento para o combate a malária.

As imagens são de belas e tristes crianças, que foram atingidas pela doença.

Edmundo aprendeu a fotografar no estúdio Edison Caetano que é uma verdadeira escola de fotografia no Acre. Seu proprietário orgulha-se de dar oportunidade a muitos jovens que hoje como Edmundo começam a se destacar na arte fotográfica.

DNDi é a sigla em inglês para Iniciativa de Medicamentos para Doenças Negligenciadas, uma iniciativa sem fins lucrativos cujo objetivo é criar e estimular esforços para a Pesquisa e o Desenvolvimento (P&D) de medicamentos para as chamadas doenças negligenciadas, como a doença de Chagas, a leishmaniose, a doença do sono e a malária.

A DNDi está sediada no escritório central em Genebra, na Suíça. Na América Latina, o escritório da DNDi fica localizado na cidade do Rio de Janeiro. Há ainda escritórios da DNDi no Quênia, Índia, Malásia e Japão.



Lula e Eduardo no Senado
Lula está tão entusiasmado com a votação que teve no Amazonas, que já se fala numa candidatura sua ao Senado por aquele Estado.

O presidente foi lançado ao cargo pelo deputado Sinésio Campos (PT). Venceria tranquilamente. A outra vaga seria do governador Eduardo Braga (PMDB).

Conforme esse blog houvera antecipado, a briga entre o governador Eduardo Braga e o senador Arthur Virgílio (PSDB) está acirrada, a ponto de o tucano desencavar bois do peemedebista no pasto de Marcio Bittar (PPS), em Sena Madureira.
O motivo do acirramento seria porque o tucano fez uma pesquisa onde Lula e Braga aparecem como vencedores na disputa para o Senado.

Com a dobradinha fechada, Virgílio teria que subir de balsa até Marechal Thaumaturgo, no Acre. A informação estão no site do Chico Bruno -
http://www.chicobruno.com.br.

Com a arrogância que lhe é peculiar, Arthur Virgílio declarou que não é a disputa política pelo Senado que alimenta sua briga contra Braga. Ele disse: “Não tenho medo de perder nada. Se a questão fosse o Senado, me elegeria por qualquer Estado do País".

Aqui no Acre ele não venceria de jeito nenhum.

O problema dessa chapa de Lula e Eduardo Braga será se eles também se associarem para criar boi em solo acreano. Ai ninguém irá segurar o desmatamento.
Binho e o desenvolvimento do AcreBinho Marques concedeu entrevista à jornalista Val Sales, do jornal Página 20, que foi publicada na edição de hoje.

O governador faz uma projeção otimista do desenvolvimento do Acre. Chega a dizer que vai querer menos governo e mais sociedade, com a participação dos empresários, em 2010.

É normal tanto otimismo. O petista assumiu dizendo que transformará o Acre no melhor lugar para se morar na Amazônia. O tempo joga contra ele. Marques tem menos de três anos para cumprir a sua promessa.

Binho deve embarcar nos próximos dias para Londres, conforme informa parte da imprensa acreana. Irá acompanhado dos irmãos Jorge e Tião Viana.

Quem sabe, ao lado do ex e do futuro governador, o atual ocupante do cargo convença ao herdeiro da coroa britânica, o principe Charles, que aqui será o primeiro mundo, a exemplo do que já é há muito tempo a Inglaterra.

O risco nisso tudo é queimar a língua com o chá quente.

Leia a entrevista.


A previsão do TRE
Teve pouca valia a ação do PP querendo impedir que Rio Branco atinja o número de 200 mil ou mais eleitores este ano. Como é sabido, os progressistas apresentaram mais de três mil atestados de óbitos para serem retirados do cadastro eleitoral.

A previsão é que o número de pessoas aptas a votar em Rio Branco chegue a 208 mil até o dia 7 de maio, último dia para a troca de domicílio eleitoral ou emissão de título de eleitor.

Esse trabalho para atrair novos eleitores não está sendo feito apenas pela Justiça Eleitoral. Partidos e candidatos nas eleições deste ano estão dando um grande empurrão para que a meta seja alcançada. A tendência é que o esforço seja intensificado nos próximos dias.

O transporte dos futuros eleitores está sendo feitos de forma camuflada. Os cidadãos são deixados por assessores dos políticos nas imediações dos locais onde o TRE está fazendo atendimento.

Confirmada a previsão da Justiça, a oposição enxerga maior possibilidade de disputar com o prefeito Raimundo Angelim (PT). A idéia é tentar levar a eleição para o segundo turno, quando todas as forças poderão se juntar contra o petista.

Convenhamos, uma eleição com possibilidade de dois turnos fica mais bonita, democrática e participativa. Será uma oportunidade para os candidatos apresentarem suas propostas e o vencedor, realmente, ganhar com a maioria dos votos dos cidadãos rio-branquenses.

Com vários candidatos de oposição, Raimundo Angelim terá uma vida mais fácil no primeiro turno. Os opositores terão que se digladiar numa eleição entre eles. O vencedor é que, caso o petista não vença a disputa já em 5 de outubro, terá a oportunidade de ir para um segundo round. E não será tão fácil.

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Pelada e sonho na BR
O governo anunciou que irá abrir o tráfego da BR-364 até Cruzeiro do Sul mais cedo este ano. Parece que o engenheiro verão chegou ante do tempo.

O sonho da integração está cada vez mais próximo da realidade.

Essa foto foi tirada em pleno inverno, no trecho Tarauacá/Rio Liberdade. Os jovens transformaram a estrada no campo de futebol. A bola gira rápido onde antes não girava nem pneu de carro com tração.

Gol de placa.

A imagem é de Odair Leal
Surf de Jacaré no São FranciscoFoi no São Francisco que eu aprendi a nadar.

Nas águas do igarapé que resiste à morte e aos ataques do homem toda uma geração brincou e sonhou.

Hoje, já não dá para nadar como antigamente. Nem sonhar.

A poluição está em toda a sua extensão. Até para os jacarés a situação está difícil. O repórter fotográfico Marcos Vicentti flagrou um animal surfando sobre um balseiro formado por garrafas plásticas.

Vale a pena conferir a matéria assinada pela repórter Marcela Barrozo, publicada no jornal Página 20. Leia.



Calixto põe água para ferver
O deputado Luiz Calixto (PDT) pôs água na fervura da política, ao criticar o fornecimento de água para os órgãos públicos.

Veja o que o parlamentar diz: “
Um dos melhores negócios no Acre é vender água. Todos os órgãos públicos municipais e estaduais compram água. O consumo nas repartições é muito expressivo. Há vários anos que o problema persiste, criando as condições para o surgimento de um verdadeiro cartell".

Leia mais no blog do Calixto.
Manifesto: 'Por um Processo
Democrático e Igualitário
na Eleição para Reitor da Ufac
A reivindicação de eleições diretas para reitor foi uma bandeira que unificou as forças progressistas e democráticas no interior da universidade brasileira desde o início da década de 1980. Em sincronia com as demais lutas travadas por diversos segmentos sociais tinha como objetivo maior demolir o autoritarismo imposto pelo golpe militar de 1964, democratizando a sociedade e o Estado.

Na Universidade Federal do Acre (Ufac), a exemplo do que ocorreu na maioria das universidades brasileiras, o processo de escolha do reitor, pelo voto da comunidade universitária, se deu pela primeira vez no ano de 1984. No entanto, longe de expressar os anseios de democratização real, essa primeira eleição foi marcada por uma série de restrições e imposições de regras arraigadas no autoritarismo que cerceavam a ampla participação nas diferentes instâncias decisórias.

A partir de 1988, em função da pressão e mobilização de movimentos estudantis e sindicais, bem como das conquistas e dos avanços dos debates acadêmicos no sentido da democratização da universidade, conquistamos politicamente o direito de eleger o reitor pelo voto proporcional paritário. Esse voto garantia a ampla participação de todos os estudantes, servidores técnico-administrativos e professores, sem confundir as especificidades ou desqualificar a importância e o papel de cada uma dessas categorias na construção e nas ações diárias da universidade.

Leia mais no blog do Braña.

terça-feira, 22 de abril de 2008

Helicóptero no céu, política no chãoSegunda-feira, 21, quatro helicópteros fizeram vários sobrevôos em Rio Branco.

Lembrando do aconteceu no domingo, várias pessoas pensaram que estavam atrás de alguma festa do PMN, haja vista que aquela era a verdadeira data de aniversário do partido.

Os helicópteros não procuravam ninguém. Manobravam em operação de rotina.

Quem rodou a baiana foi Sérgio Petecão. Ele denunciou a ação da Justiça Eleitoral que acabou com a festa de aniversário do PMN na tribuna da Câmara dos Deputados. O deputado federal recebeu solidariedade de vários outros parlamentares.

A Justiça Eleitoral não foi provocada por nenhuma liderança da FPA. A coligação tem pessoas inteligentes demais para fazer uma coisa dessas.

Foi coisa de aliado novo querendo mostrar serviço.

Essa turma recém-chegada pode atrapalhar a candidatura à reeleição do prefeito Raimundo Angelim (PT).

A foto é de Damião Castro.

Deu na coluna do Cláudio Humberto

Marina fora da política
O jornalista Cláudio Humberto é conhecido pelas barrigadas que dá em relação à política. Mas, na sua coluna de domingo, o ex-porta-voz de Fernando Collor de Mello publicou uma nota que faz sentido.

Cláudio Humberto escreveu que a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, comunicara ao presidente Lula que não vai disputar um novo mandato no Senado, em 2010. “Quer um cargo – que o governo já procura – em organização ambiental internacional”, disse.

É pouco provável que Marina necessite que o governo procure cargo para ela em organização ambiental internacional. Sua história e seu currículo são mais que suficientes para abrir as portas de qualquer instituição.

O fato curioso na nota é que Cláudio Humberto falou o que já se vem falando há um bom tempo no Acre. Em vários segmentos é dado como certo que Marina cansou da política e estaria disposta a seguir outro caminho.

Caso seja confirmada essa opção da ministra, o quadro político no Acre para 2010 começa a mudar. Já não terá um cenário com uma chapa majoritária 100% do PT.

A disputa pela segunda vaga do Senado começará a tomar outro contorno dentro da Frente Popular. Partidos como PC do B e PP vão pleiteá-la. E têm nomes fortes para isso.

Mas há uma outra complicação para os aliados do PT, caso o governador Binho Marques resolva concorrer. Ele é do mesmo grupo de Marina Silva. Sua candidatura poderia ser uma forma para garantir o espaço e assegurar a correlação de força interna.

Por enquanto, trabalha-se apenas com especulações. Os resultados das urnas nas eleições deste ano servirão como balizadores para o processo de 2010. Mas o tempo passa rápido. Logo, logo teremos que eleger novos deputados, senadores e o governador. Vai ser o ano, segundo Binho Marques, que o Acre será o melhor lugar para se viver na Amazônia. Será?


domingo, 20 de abril de 2008

Polícia Federal azeda
aniversário do PMNA Polícia Federal azedou a feijoada servida na festa de comemoração dos 18 anos do PMN no Acre.

A festa transcorria normal, até que cerca de 10 agentes chegaram com dois camburões e várias armas no Bancrevea Clube, local escolhido pela direção do partido para festejar.

Os agentes federais foram cumprir mandato expedido pelo juiz eleitoral Marcelo Coelho, que acatou denúncia de que o deputado federal Sérgio Petecão estaria distribuindo comida em troca de votos.

Sabendo que não estavam ali dispostos a vender o voto por um prato de comida, os convidados ficaram revoltados e passaram gritar palavras de ordem contra o que classificaram de ditadura.

Petecão chorou. O vereador Pedrinho Oliveira teve um aumento da pressão arterial, mas, felizmente, tudo terminou bem.

Não sou especialista em lei, mas acho que o juiz errou feio. Não havia no local qualquer indício de campanha eleitoral. Petecão ainda não é candidato, haja vista que não houve convenção.

Naquele momento, o próprio deputado federal também comemorava aniversário. Não deu tempo nem de cortar o bolo.

O que aconteceu hoje foi apenas um aviso do que Petecão enfrentará durante sua campanha para prefeito de Rio Branco. Seus adversários são muitos e poderosos.


Com a festa encerrada, alguns poucos convidados foram terminar de comer a feijoada na casa de Petecão.

O deputado adiantou ao editor do blog que denunciará o ato no plenário da Câmara dos Deputados.

O editor do blog vai dar um conselho aos autores da denúncia: este tipo de coisa vai tornar o deputado vítima. E eleitor gosta de votar nas vítimas.

A foto é de Damião Castro.
O clássico do caroço
O Nauas, da terra da farinha, venceu a Adesg, da terra do amendoim.

Os representantes de Cruzeiro do Sul e Senador Guiomard disputaram o “clássico do caroço”. A equipe cruzeirense venceu por 3 a 2.

Cruzeiro do Sul fica a mais de 600 quilômetros de Rio Branco, mesmo assim tinha mais torcedores do Nauas no Arena da Floresta do quer da Adesg, cuja sede fica a 24 quilômetros da capital.

A partida não foi um primor de técnica, mas valeu pela garra e disposição da equipe vitoriosa.

Hoje tive um dia feliz como torcedor. O Botafogo despachou o Fluminense por 1 a 0, sagrou-se campeão da Taça Rio e vai disputar a final do Campeonato Carioca contra o Flamengo.
Meu pai, 80 anos
Se eu não tivesse certa facilidade para pôr no papel as palavras, talvez jamais dissesse o que vou dizer agora. Timidez, falta de coragem ou excesso de respeito certamente são os freios que impedem que olhe nos seus olhos e diga o tanto que o admiro.

Esse meu comportamento durante tantos anos pode ser explicado porque é uma das fraquezas humanas deixar para revelar seus sentimentos apenas diante das perdas e ou de momentos de intensa alegria. Preferimos sempre deixar tudo para depois, como se esse depois fosse eterno.

Felizmente, estou tendo a oportunidade de expressar o que sinto num momento de regozijo para nossa família. Hoje, meu pai, é seu 80º aniversário. É um momento para superar bloqueios e revelar sentimentos sem pudores.

Talvez você preferisse que, em vez de escrever, eu sentasse numa cadeira de balanço da varanda e falasse tudo frente a frente. Mas isso eu não consigo de forma alguma. Creio que jamais conseguirei.

Essa timidez atroz não é de hoje. Confesso que já tentei diversas vezes quebrar essa barreira para expressar meu sentimento em relação a você, mas nunca consegui.

Romper com isso, para muitos, até seria fácil. Afinal, quase diariamente entro na nossa casa - a mesma e única casa onde fui criado e de lá só saí casado -, vejo-o sempre sentado na velha cadeira de balanço, mas raramente paro para conversar alguns preciosos minutos.

Sempre prefiro entrar, dirigir-me até a cozinha, mexer nas panelas ou simplesmente deitar no sofá para, calado e pensando nos meus problemas, assistir televisão.

Pai, ao longo da nossa vida, nunca fomos tão próximos. Sempre mantivemos certa reserva um com o outro, como se defendendo de algo invisível. Sei das suas preocupações comigo por meio da mãe. Sempre vi meus irmãos se aproximarem de você, mas nunca tive coragem para tanto.

Talvez por causa desse relacionamento tão distante de você é que procuro sempre me manter perto dos meus filhos. Faço com eles tudo aquilo que gostaria de que você um dia tivesse feito comigo. Gosto de abraçá-los, beijá-los, acompanhá-los e orientá-los em todos os seus passos.

É, meu velho. Sei que a minha vida, pela sua luta, foi mais fácil. Por isso, posso dar às minhas crianças aquilo que não obtive. Você foi seringueiro, estivador, policial e tudo aquilo que era necessário para criar bem os seus. Não temos do que reclamar.

Meu pai, hoje você completa 80 anos de vida. Que idade bela. Eu, no auge dos 39, penso o quanto é bom viver para contar história e ver os filhos crescidos lhe enchendo de netos e bisnetos.

Hoje, quero abraçá-lo e dizer que o amo muito. Você é uma pessoa que aprendeu a lutar desde cedo. Seu rosto é marcado pelas dificuldades. Suas pernas, já não tão firmes pelo peso da idade e das doenças que o acometeram, abriram a estrada para a consolidação da nossa família.

Essa data é para comemorar muito porque poucas são as pessoas que têm o privilégio de chegar a uma idade como a sua. Menos ainda são aquelas que podem se orgulhar de jamais ter trilhado por caminhos tortuosos.

Você, meu pai, mostrou que é possível nascer pobre, crescer pobre e se manter com dignidade. Todos nós somos ricos porque tivermos você e minha mãe como nossos esteios. Dois portos seguros a nos amparar depois de uma viagem cheias de tempestades. Você, Zeca Matias, é o nosso pai-herói.

PS.: Este texto foi escrito em homenagem a José Matias Filho, que hoje completa 80 anos. Nesta mesma data, também comemoram aniversário minha esposa, Carmela Camargo, e minha irmã Maria das Graças.

Nota do editor: Esse artigo foi publicado no jornal Página no dia 16 de abril de 2004. Hoje, faz quatro anos que o meu pai partiu para o andar de cima. A saudade é constante em todos os dias que passo sem ele.
Orleir em Sena Madureira
Orleir Cameli esteve em Sena Madureira neste sábado.

Embora tenha ajudado na eleição e na reeleição da ex-prefeita Toinha Vieira (PSDB), o ex-governador não foi tratar de questões políticas. Ao menos por enquanto.

Cameli é um homem que fez da política um negócio rentável, mesmo estando sem mandato. Sua ida ao terceiro maior município acreano foi para tentar locar um terreno para utilizar como depósito para material de construção.

Orleir é proprietário de uma das empresas que irá construir a BR-364. Ele não concorreu à reeleição em 1998, mas nunca teve raiva do pessoal do Governo da Floresta. É tanto que subiu no palanque de Binho Marques em 2006. Está ganhando muito dinheiro com o pessoal de ajudou a sacramentar sua imagem de mau administrador e de corrupto. Ele sabe pavimentar sua trajetória de sucesso econômico.

Mesmo tendo olhado vários terrenos, Cameli não alugou nada. Chegou a contatar uma área de propriedade do deputado estadual Mazinho Serafim (sem partido), mas recebeu um terreno do Deracre sem ter que pagar nada.

O ex-governador joga papel importante na política de Sena Madureira. Ainda é lembrado como aquele que teve a coragem de ligar o município a Rio Branco. Também é amigo de Toinha Vieira, que disputará contra o atual prefeito Nilson Areal (PR). Sua presença no município significa mais do que se imagina, principalmente se unir forças com Mazinho Serafim.

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Dias de reflexão
Neste sábado, não assinarei a coluna Poronga, no jornal Pagina 20. Esses próximos dias serão destinados à reflexões.

Sábado é Dia do Índio e os filhos da taba estão cada vez menos prestigiados na aldeia Acre.

Domingo é dia de torcer pelo Botafogo, no Maracanã, e pelo Nauas, no Arena da Floresta.

Segunda-feira é Dia de Tiradentes. Tem muita gente com a corda no pescoço. Há muitas cabeças rolando neste Estado que um dia lutamos para ser recheado de democracia plena.

Terça-feira foi o dia que Pedro Álvares Cabral descobriu o Brasil. Será quando a semana começará. Quem sabe, a gente comece a descobrir novos caminhos...

Conversa com o senador
Conversei agora há pouco com o vice-presidente do Senado, Tião Viana (PT/AC). Falamos sobre a nota de solidariedade publicada na coluna Poronga, que assino no jornal Página 20.

Foi uma boa e franca conversa. Serviu para acabar com alguns ruídos de comunicação.

Questionei posições dele, mas também fui questionado. Ele expressou algumas opiniões suas. Eu expressei as minhas.

Tião Viana é um político que ultrapassou as fronteiras do Acre. Eu ainda tento conseguir o reconhecimento dos meus conterrâneos.

Temos em comum o fato de, cada uma à sua maneira e seu poder de fogo, lutar por um Acre melhor, mais fraterno e com oportunidades para todos.

Mas, infelizmente, vivemos num meio onde a sinceridade é coisa rara. O senador foi sincero comigo. Eu fui sincero com ele.

Ao final da conversa, ficou a sensação de que o respeito mútuo continua.

Marcamos para conversar outras vezes.
Pego de surpresa na própria coluna
O Página 20 é um jornal onde até os colunistas são pegos de surpresa. Esse editor do blog não é a exceção.

Hoje, ao abrir a coluna Poronga, que leva a minha assinatura, fui surpreendido com a seguinte nota de solidariedade, que não foi escrita por mim:

“Solidariedade

O senador Tião Viana (PT) recorre à coluna para prestar a mais irrestrita solidariedade aos desembargadores Arquilau de Castro Melo e Adair Longuini, vítimas de torpes agressões em texto assinado por jornalista da cidade. Tião conclama a sociedade no repúdio à prática do ódio e da violência contra a integridade e a honra alheias, lembrando que para que o mal vença basta que o bem cruze os braços”.

Você deve estar se perguntando: como um jornalista permite isso?

Eu nunca permiti. Sempre que acontece, tenho verdadeiros arranca-rabos com a direção, que já renderam vários pedidos de demissão não aceitos.

Hoje não será diferente. Voltarei a brigar com o meu amigo Elson Dantas, proprietário do jornal.

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Carrinho de bebê utilitárioNo centro de Rio Branco, em frente ao Senadinho, a mãe torna público o sacrifício de sustentar um filho.

Certamente não tem condições para pagar uma babá.

Precisando sobreviver, ela levou o bebê para a rua.

Transformou o carrinho num carro utilitário. Ele nele que apóia a banquinha recheada de doces.

Uma vida dessas não é fácil como tirar pirulito da boca de uma criança.

A imagem é do repórter fotográfico Regiclay Saady

Grupo dos oito na política do Juruá
Chama-se G-8, um grupo de ex-presidiários por tráfico ou consumo de drogas que pretende entrar na política em Cruzeiro do Sul. Essa turma da pesada fala até em lançar candidato a prefeito. Eles afirmam que dinheiro não será problema, pois têm condições de arrecadar R$ 1 milhão num piscar de olhos.

Prometem deixar seus adversários no pó.

Segundo a fonte do blog, os membros do G-8 não estão num partido específico. Estão dentro de várias legendas, tanto oposicionistas quanto governistas. É ai que mora o perigo.
Vai dá cana
Está mais difícil do quer o divulgado sair o acordo entre a Promotoria do Meio Ambiente, o Imac e o Grupo Farias, para que a usina Álcool Verde entre em funcionamento.

Fonte do blog revelou que o caso tem amplas possibilidades de ir parar na Justiça, por meio de Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público Estadual.
Cardoso deixa de ser Raimundo
e volta a ser Carlos Augusto
A partir de amanhã, outro nome passará a comandar a Superintendência do Incra no Acre. Sai Raimundo Cardoso de Freitas, entra Carlos Augusto Lima Paz.

Na verdade, não haverá substituição nenhuma. Os dois são a mesma pessoa.

Carlos Augusto resolveu adotar o nome de Raimundo para fugir da ditadura militar, em 1965. Entrou na clandestinidade. Trocou o Nordeste pelo Norte, onde ajudou na luta da esquerda contra o regime militar.

Anistiado em 1979, entrou com ação na Justiça para reaver a verdadeira identidade. Recebeu indenização – o valor não foi informado – e o direito de voltar a se chamar Carlos.

Esta semana, saiu a publicação do nome verdadeiro no quadro de servidores do Incra. Nesta sexta-feira, receberá os cumprimentos dos amigos e companheiros na sede do órgão.

Poucas pessoas lembram, mas Cardoso foi candidato a prefeito de Rio Branco pelo PT, em 1986. Eu votei nele.
O caminho do parlamento
não passa pela educação

Gina Menezes*

No Instituto Superior do Acre há um aluno que tem no rosto um brilhante sorriso estampado por ter ganhado uma bolsa de estudos. Na Assembléia Legislativa do Acre há um deputado que raramente sorri e que fomenta seus discursos na apologia à ignorância.

O nome do estudante não cabe aqui porque ele ainda carrega o anonimato de quem está começando a vida. O outro é o deputado Juarez Leitão, primeiro secretário da mesa diretora da Aleac. Os dois têm muitas coisas em comum e apenas uma diferença: um luta pelo direito de estudar e o outro afirma que faculdade não lhe faz falta.

Para o acadêmico do Iesacre estudar é o passaporte para uma vida melhor. Ele escreve de forma brilhante e tem um português impecável. Ganhou um computador em um concurso de redação. Nem pensou duas vezes em oferecer o equipamento para quitar parcelas atrasadas da faculdade. Jura de pés juntos que o sacrifício em nome da educação vale a pena.

O menino sonhador ficaria desanimado se encontrasse pela frente o deputado Juarez Leitão, que se orgulha de não ter estudado e garante que não precisa de faculdade para conseguir seus ideais. “Não tem faculdade para ser deputado”, diz Juarez, justificando seus erros de concordância nominal e mostrando uma ignorante alegria por ser deputado pelo Acre sem precisar estudar.

Difícil saber quem está com a razão, se é o menino sonhador bolsista que anda de ônibus, mas que não faz vergonha quando abre a boca, ou o deputado petista, que anda de picape cabine dupla, já foi líder do PT na Aleac, mas não consegue o feito de dizer uma frase inteiramente correta.

Juarez e o acadêmico que ainda não registrou seu nome na história têm em comum o fato de terem nascido pobres e sem oportunidades. De diferente eles têm a reação em frente aos livros.

O acadêmico se abraça às palavras como se fossem uma tábua de salvação em mar aberto, talvez seja mesmo. Juarez rejeita a educação, os livros e os intelectuais como se fossem alguma pestilência. “Falo a linguagem do povo. Não tem porque falar tudo certo”, diz o homem da célebre frase “Eles Veve muito bem do jeito que está” (Sic). Nem sei quem o deputado queria dizer que vivia bem, quem não fica bem com isto são gerações futuras que herdarão do parlamento a lição de que não precisa estudar para desempenhar função pública.

O aluno do Iesacre se matriculou no curso com a firme convicção de que pagaria o preço que fosse para se manter na faculdade. Ele não titubeou em abrir mão do primeiro computador que ganhou na vida. Era um bem material em troca de um sonho que não tem preço. Reagiu à falta de oportunidade se agarrando à academia.

Juarez reagiu à falta de oportunidade negando o que momentaneamente não podia ter. Não pôde estudar quando quis e não quis estudar quando pôde. Juarez bateu o pé como menino buchudo e esfrega o mandato na cara de quem duvida da sua capacidade. Eu não duvido da falta de capacidade de realização do deputado, mas a falta de perseverança e a falta de apego à educação é algo gritante na biografia de Leitão.

Dizem os filósofos que a nossa história é uma eterna interação e que não existe fato isolado. Bem sabia que Romildo Magalhães, ex-governador do Acre, tinha deixado uma colaboração negativa para a educação do Estado, só não sabia que era atemporal e nem sabia que ele tinha gerado um deputado que faz apologia à falta do saber.

Que pena que quando o bem intencionado Juarez Leitão, aos 14 anos, foi tentar a sorte em Feijó em busca de estudos se esbarrou com Romildo Magalhães como prefeito.

Romildo lhe entregou uma enxada para trabalhar e lhe roubou um sonho. O sonho de poder estudar. Juarez não aceitou a enxada para limpar as ruas de Feijó, mas também não teve de volta o sonho da educação. Voltou para o seringal e para a certeza de que educação não é indispensável.

Anos depois, Juarez saiu das matas e chegou à Aleac para sempre livre do pesadelo de ter uma enxada nas mãos e para o resto da vida com a marca de não ter compreendido realmente o valor da educação. Pobre do Juarez que entregou o sonho a Romildo e lamentável o Leitão que faz apologia à falta do saber.

Destes dois deputados que dentro do petista amigo de Marina e de Chico eu não prefiro a nenhum. Prefiro mesmo ao acadêmico do Iesacre que não abriu mão do sonho de estudar nem mesmo quando as mensalidades atrasadas começaram a bater a sua porta. Queria apenas que o acadêmico valente e amante das letras fosse até a Aleac e sussurrasse para Juarez Leitão a frase de Monteiro Lobato que diz que um país se faz com homens e com livros.

* Gina Menezes é jornalista do jornal O Rio Branco

Comentário do editor: Devo dizer que não concordo com todos os termos empregados contra o deputado Juarez Leitão. Nutro por ele a sua história um respeito grande. Não é qualquer um que consegue chegar onde chegou o parlamentar. É um homem que veio ter contato com um telefone convencional quando tinha mais de 20 anos. Conhece boa parte dos países e tem uma trajetória de luta em defesa do meio ambiente e dos povos da floresta. O conhecimento acadêmico é importante, mas não podemos ignorar aquilo que é adquirido empiricamente.

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Política amazônica

A tropa de Arthur Vírgilio veio ao Acre
O senador Arthur Virgilio (PSDB/AM) mandou uma tropa de elite para investigar os bois do governador amazonense, Eduardo Braga (PMDB), nas fazendas de Mauro Bittar, que é administrada pelo irmão Marcio Bittar (PPS).

Vieram jornalistas do jornal Diário do Amazonas, da afiliada da Rede Bandeirante e da rádio CBN. Apuraram que as mais de três mil cabeças supostamente pertencentes a Braga sumiram do pasto

Em que pese a falta de boi, os repórteres conseguiram apurar coisas interessantes. Uma delas é que Mauro Bittar conseguiu financiamentos dos bancos do Brasil e da Amazônia para Fazenda Córrego de Ouro.

Outro detalhe é que Marcio Bittar aparece no cadastro do Instituto de Defesa Agroflorestal (Idaf), em Sena Madureira, como arrendatário do imóvel. Ele nega.

Um dos capatazes ouvidos pelos repórteres afirma que desconhece a parceria de Eduardo Braga com os irmãos Bittar para arrendamento de pastos.

O trabalhador está no local há quase duas décadas. Essa situação reforça a suspeita de lavagem de dinheiro. O caso ganhará destaque na imprensa amazonense.

Para entender melhor a história, leia no blog do Altino – www.altino.blogspot.com.

As fotos são do repórter fotográfico Marcos Vicentti.




Presidente do PT no Acre
Ricardo Berzoini virá ao Acre no próximo dia 3. Será num sábado. Companheiros petistas do Estado preparam a agenda para receber o presidente nacional do PT.

Essa não é uma visita qualquer. O último presidente da legenda que veio ao Acre foi José Genoíno, há mais de cinco anos. Tantos anos de ausência são estranhos. Afinal, aqui o partido deu certo.

Enquanto Berzoini não vem, os petistas vão se preparando para a eleição.

Nesta quinta-feira, o PT irá fazer a sua plenária municipal, na Escola Técnica Campos Pereira. O partido começará a definir nomes de candidatos a vereadores e alianças proporcionais.

Atualmente, a legenda tem apenas a vereadora Maria Antonia na Câmara de Rio Branco.
Um peça de horror no TeatrãoO site de notícia www.ac24horas.com anunciou que o julgamento do ex-deputado federal Hildebrando Pascoal, pela morte do mecânico Agilson Firmino, o Baiano, será realizado no Teatro Plácido de Castro, em julho.

Se for verdadeira a informação, o local parece apropriado. Será um dos últimos atos de uma verdadeira peça de horror exibida durante anos na nossa história.

Baiano foi a vítima do famoso crime da moto-serra.

O teatro passa por uma ampla reforma. Se reabrir numa sessão dessas, pode-se dizer que será um avant-premiére.

A foto é de Marcos Vicentti.


A água da penal
O editor do blog conversou hoje com o empresário Elizeu Mesquita, proprietário da empresa contratada para fornecer água às penitenciárias de Rio Branco.

Ele confirmou que assinou contrato de R$ 336 mil com o Iapen, mas isso não significa que receberá esse valor ao final dos sete meses. Também garantiu que nunca conversou com a diretora da autarquia, Laura Okamura.

Elizeu Mesquita negou que receba R$ 48 mil por mês. Segundo ele, o recebimento médio mensal é de R$ 9 mil, haja vista que recebe pela água que entrega. “O valor do contrato é apenas uma prevenção para o período de estiagem ou em casos de emergência”, disse.

A empresa de Mesquita entrega água três vezes por semana nas penitenciárias: segunda, quarta e sexta-feira. São caminhões carregados com 15 mil litros de água potável para as celas dos quase três mil presos.

Segundo o empresário, o preço de entrega ao governo é inferior ao praticado no mercado. “Para as residências entregamos mil litros por quinze reais. Já para os órgãos do governo a mesma quantidade sai por doze reais”, revela.

É sempre bom ouvir os dois lados, antes de fazer as críticas.
O Juruna do AcreEx-deputado federal pelo PDT do Rio de Janeiro, o cacique Mário Juruna se notabilizou porque gravava tudo que lhe era dito pelas autoridades.

O Acre tem a versão moderna do indígena. Luiz Gonzaga (PSDB) grava as sessões na Aleac com uma filmadora. Quando vai para a tribuna, posiciona o equipamento e aciona-o pelo controle remoto que carrega no bolso.

A idéia do tucano é disponibilizar o conteúdo da sua fala no blog que mantém na internet –
http://www.aleac.ac.gov.br/aleac/luizgonzaga.

O problema é que os seus eleitores são pobres, que dificilmente têm acesso à rede mundial de computadores.

Os cinegrafistas que trabalham nas emissoras de televisão que cobrem o dia-a-dia na Assembléia Legislativa começaram a se preocupar com os seus empregos.

A foto é de Damião Castro.


terça-feira, 15 de abril de 2008

Socorro ao rioA friagem chegou mais cedo este ano.

É sinal de que o verão também chegará logo, logo.

Hoje, o nosso Rio Acre está quase cheio e bonito.

Não vai demorar a volta ao tempo de seca. É quando o rio pede socorro.

Vamos salvá-lo, antes que sejamos nós a morrer de sede.

A foto foi tirada por Marcos Vicentti, no verão passado
Naluh vai ao TRENaluh Gouveia irá ao TRE na sexta-feira. Prestará depoimento ao corregedor da corte, Arquilau de Castro Melo, sobre a sua saída do PT.

É mais um passo no processo movido pelo suplente de deputado Merla Albuquerque (PT) para tentar ficar com o mandato que foi da atual conselheira do TCE.

Ficou claro que Naluh Gouveia não foi infiel com o PT, como alega Merla Albuquerque.

Ela deixou o partido porque essa era uma das exigências para se habilitar como concorrente ao cargo de conselheira.

A ex-deputada poderia levar cópia da declaração escrita pelo dirigente Nilton Cosson, que respondia pela presidência do partido naquele momento.

Leia um dos trechos: “A Naluh sempre foi uma militante fiel, ousada, combativa e coerente. Sua história vai sempre servir de inspiração para os militantes do nosso partido”.

Josemir Anute (PR), o suplente que herdou o mandato de Naluh Gouveia, também será ouvido no TRE.

Esse é um processo desgastante em todos os sentidos para a FPA. Os dirigentes da coligação deveriam se posicionar mais firmes, principalmente os do PT.

Céu garantido para os evangélicos
Vereadores evangélicos que votaram contra o projeto que criava do Dia Municipal contra a Homofobia, de autoria da vereadora Ariane Cadaxo (PC do B), podem não ter garantido à reeleição, mas estão certos de que ficaram mais pertos do céu. É o que pensam.

Em meio ao debate entre vereadores contrários e a favor da matéria, o que chamou a atenção foi o argumento utilizado pelo vereador Rodrigo Pinto (PMDB).

Pinto disse que votou contra porque 17 de maio é a data que o seu pai, o governador Edmundo Pinto, foi assassinado no Hotel Della Volpe Garden, em São Paulo. É uma questão familiar, que deve ser entendida.

Pinto pai deve está no céu. Os evangélicos ainda batalham para chegar lá. Mas querem, primeiramente, garantir o paraíso que os mandatos lhes conferem. Não vai ser fácil. Eleitor evangélico é infiel e volúvel.
Um dia feliz
Domingo foi um dia feliz para mim. Não porque passei junto aos meus filhos, minha esposa e amigos momentos de descontração, lazer e fraternidade. Também não foi porque meu Botafogo, o Glorioso, empurrou uma derrota de três a zero contra o Flamengo, o grande rival da maioria dos brasileiros. Esses fatores apenas aumentaram a alegria que tive quando abri o jornal O Rio Branco e li o artigo que o empresário Narciso Mendes fez para me atacar.

Ser atacado por Narciso é motivo de regojizo para qualquer cidadão. É sinal de que estou no caminho certo. Todas as pessoas que foram agredidas nos últimos anos por esse personagem tão conhecido dos acreanos e de boa parte dos brasileiros obtiveram sucesso.

Quando li seu texto, pensei: serei bem sucedido. De imediato, lembrei do que esse senhor fez contra as lideranças da Frente Popular do Acre, em particular ao ex-governador Jorge Viana e ao senador Tião Viana.

Narciso usava o mesmo jornal que usou para me atacar e a sua televisão para dizer, entre outras coisas, que daria voz de prisão a Jorge Viana ao término do seu governo. Também foi um dos que orquestrou para que a candidatura à reeleição do então governador petista fosse cassada pela Justiça Eleitoral acreana, numa das passagens mais marcantes da nossa história, em 2002.

Com tantos ataques, os irmãos Viana continuaram tocando a vida, fazendo a boa política e se consolidaram como lideranças local e nacional. O mesmo não se pode dizer dos seus adversários.

Não quero me comparar aos políticos renomados. Seria muita prepotência e pretensão da minha parte. Mas posso prever que, caso continue sendo agredido, terei uma trajetória vitoriosa no futuro.

É bom destacar que me considero um vitorioso. Chegar aonde cheguei é muito para um filho de ex-seringueiro, que um dia morou na distante Foz do Breu.

O senhor Narciso publicou artigo sem pé nem cabeça porque tive a coragem de criticar o PP por ter entrado com ação no Tribunal Regional Eleitoral apresentando mais de três mil atestados de óbitos para serem confrontados com o cadastro eleitoral.

Fiz as críticas porque sabia da barbeiragem que o PP estava cometendo. Tinha conhecimento da parceria do Tribunal Superior Eleitoral com o Instituto Nacional do Seguro Social para que a autarquia informe sobre os óbitos ocorridos.

Não entrei no debate porque defendo a candidatura do deputado federal Sérgio Petecão para prefeito de Rio Branco. Não me cabe defender candidatura A ou B. Nesse processo tenho apenas voto. Meu voto darei, na hora certa, àquele que julgar merecedor.

Tanto Sérgio Petecão quanto o prefeito Raimundo Angelim merecem o meu voto. São pessoas idôneas, corretas, decentes, com o passado e o presente limpos.

A impressão que ficou é de que Narciso teme os mortos. Ora, morto não vota nem deve votar. Não há mais lugar na política para quem tenta fraudar a eleição ou aparece como uma fraude aos olhos do público.

Sei que não sou uma fraude. Sempre me mantive coerente e do mesmo lado. Não mudo de lado pelo dinheiro. Faço as coisas por pura convicção. Nunca corrompi nem fui corrompido.

Caso fosse político, tenho certeza de que poderia criticar quem compra votos. Digo isso porque não utilizaria os artifícios de criar fundações para, com o dinheiro público, doar sacolões em troca de votos.

Infelizmente, hoje o Acre e os acreanos têm visto pessoas que foram chamadas de aves de mau-agouro posar de arautos da moralidade. É querer enganar a si próprio. Vivemos numa terra que nem muro tem. Sabemos quem é quem, o que faz e, muitas vezes, o que fará.

Decerto não sou conhecido do grosso da população, mas a sociedade sabe quem é que gosta de mamar nas tetas públicas.

Narciso morreu politicamente, mas continua utilizando seus veículos de comunicação para tentar assustar os cidadãos de bem. Já tive medo de “alma”. Isso quando era criança. Como cresci, esse tipo de medo passou. Temo, agora, os defuntos insepultos da política acreana que passaram a rondar e a querer vigiar um projeto que foi construído a tão duras penas pelas forças progressistas do nosso Estado.

O senhor Narciso passou de voraz crítico a defensor intransigente da Frente Popular. Deve ter milhões de motivos para mudar. Para isso, tenta desacreditar pessoas que sempre estiveram no campo oposto ao seu. A necessidade de se legitimar é enorme. Já não fala em mandar prender ninguém.

Essa mudança de postura é preocupante. Todos aqueles a quem o dito senhor defendeu ou se aliou foram cedo para a cova rasa do ostracismo político. Não foi à toa que ganhou o título de “Coveiro da Oposição”. É uma prova de que não é um bom companheiro.

Hoje vou acordar novamente feliz. Vou me olhar no espelho, verei o mesmo olhar estrábico de sempre, os cabelos grisalhos, as olheiras e as rugas impostas pelo tempo. Mas não me assustarei com a imagem refletida. Não sou narcisista para achar feio o que não é espelho. Durmo e acordo feliz, pois tenho a certeza de que carrego a imagem de uma pessoa que tem vergonha na cara e nunca foi corrupto nem corruptor da sua história.

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Maluco belezaNo calor de meio-dia, o rapaz aproveitou para se refrescar no espelho d’água que cerca a estátua de Plácido de Castro, no coração de Rio Branco.

O repórter fotográfico Marcos Vicentti flagrou a cena no instante de paz e amor.

A cena é insólita, mas deveria ser coibida. Afinal, o quartel da Polícia Militar fica a poucos metros do local.


domingo, 13 de abril de 2008

Narciso, as palavras de
um morto-vivo da política
Narciso Mendes, aquele senhor que gabava-se de ser corrupto e corruptor, segundo seus adversários, resolveu partir para cima do editor do blog neste fim de semana.

Publicou um artigo sem pé nem cabeça para afirmar que eu defendo que eleitores mortos permaneçam no cadastro eleitoral do TRE.

Narciso entende de morto. Foi muito vivo para garantir junto à prefeitura de Rio Branco, na gestão de um dos seus ex-aliados do falecido MDA, contrato de duas décadas para que no cemitério de propriedade de sua família sejam enterrados os restos mortais da sociedade rio-branquense. Não é de estranhar que esteja fingido-se de morto para continuar acendendo as velas certas para quem está no poder.

Narciso é um morto político, que foi ressuscitado economicamente desde que saiu da posição de adversário para bajulador da Frente Popular.

Eu, no lugar dele, ficaria morto de vergonha de prestar ao papel que hora presta.


Tenho 43 anos. Sempre me mantive politicamente do mesmo lado. Nunca corrompi, nem fui corrompido.

Modéstia à parte, sei que dei uma ínfima parcela de contribuição para que pessoas da laia de Narciso morressem politicamente. Morto ele está. Só falta enterrar.

Quanto à minha relação com o deputado federal Sérgio Petecão, devo deixar claro que nutro por ele uma sincera amizade, que vai além dos interesses econômicos mencionados pelo senhor Narciso.

Quem faz tudo por dinheiro, e isso a história tem demonstrado, é o senhor Narciso. O Acre inteiro sabe disso. No mais, sou daqueles que se sentem elogiados quando recebe críticas de uma pessoa como essa. É sinal de que não mudei, embora muitos companheiros meus tenham mudado nos últimos anos.

Leia o que Narciso escreveu ao meu respeito.

A mais antiga das fraudes

O jornalista Leonildo Rosas, até prova em contrário, defendeu o voto dos defuntos. Senão, melhor explique-se.


Neste particular, que o louvemos, afinal de contas, o jornalista Leonildo Rosas continua sendo uma das raras criaturas que ainda vem demonstrando fidelidade à candidatura Sérgio Petecão. Ironia à parte, nem o próprio partido do pretenso candidato, o nanico PMN, parece coeso em favor dessa aparente aventura. Se o PMN não está, decerto, menos estará o PSB, outro partido que Sérgio Petecão, por ingenuidade ou ignorância política, já o tinha como favas contadas. A dupla Cosmo e Damião (lembram-se dela!) teve vida curtíssima. O PPS de Márcio Bittar, como era esperado, já anda atrás do PMDB, seu ex-partido, e do qual, até pouco tempo atrás, dizia as piores coisas. Em síntese: mais cedo que o esperado, Sérgio Petecão se vê só e abandonado.

Em meio a essa debandada o jornalista Leonildo Rosas, justiça seja feita, tem preservado uma qualidade cada vez mais rara no ambiente político, qual seja, a gratidão. Já que nos tempos das vacas gordas o então presidente da ALEAC, Sérgio Petecão, havia lhe dispensado o melhor tratamento, hoje, com a mesma moeda, tenta retribuí-lo.

Tudo, menos que para tanto se fizesse necessário apelar ao desespero, salvo melhores explicações, o que fez o citado jornalista quando saiu em defesa da presença dos mortos na relação dos eleitores potencialmente aptos a exercitarem seus votos. Que os aliados do deputado federal Sérgio Petecão, por óbvias e cristalinas razões, mantenham-se silentes quando o assunto diz respeito ao quesito “funcionários fantasmas”, até que se admite, mas sair em defesa de eleitores fantasmas, porque já mortos e enterrados, significa exumar, não os seus corpos, sim, a mais antiga fraude eleitoral que se tem notícia em nossa já tão depravada história político-eleitoral.

Se a FPA ou o PP temem almas e segundo turno e como tais coisas não me metem medo, porquanto serei capaz de visitar um cemitério à meia noite de uma sexta-feira 13, mesmo que seja na plenitude de um mês de agosto, de outro lado, porque afastado da política partidária, não estou minimamente interessado por essa ou aquela candidatura, entretanto, ao ouvir falar em eleitores fantasmas, devo confessar: deles não tenho medo, e sim, nojo.

Seja qual tenha sido o propósito do PP, ele se houve muito bem quando fez (ou mandou fazer) um levantamento dos eleitores mortos com o objetivo de excluí-los do universo dos eleitores que escolherão o futuro prefeito de Rio Branco. Não é demais lembrar que a mais grotesca e vergonhosa fraude do nosso sistema eleitoral se dava quando os defuntos acabavam votando, e mais presentemente se daria caso os eleitores mortos fossem contabilizados a fim de que Rio Branco atingisse os 200.000 eleitores.
Excluir os eleitores mortos das disputas eleitorais é, indiscutivelmente, uma atitude altamente moralizadora, e em assim sendo, não resta dúvidas, pareceu bastante desatinada, porque sequer poderíamos considerá-la como uma crítica, a censura que o jornalista Leonildo Rosas fez ao PP. Os mortos precisam ser respeitados, e em muitos casos, até reverenciados, jamais ser envolvidos com a corrupção eleitoral.

Custa-me crer que o prefeito Raimundo Angelim esteja preocupado com um hipotético segundo turno, até porque, pelo andar da carruagem, se dez turnos existissem, dez vitórias estariam a lhe esperar, não tão somente pela decente gestão que vem fazendo à frente da prefeitura de Rio Branco, e sim, porque concorrerá a sua reeleição tendo que enfrentar uma oposição altamente dividida e desorganizada, e acima de tudo, desprovida de líderes à altura de representá-la.

Chegar aos 200.000 eleitores é tudo que queremos para nossa capital, porquanto seria uma prova a mais do nosso efetivo crescimento, entretanto, seria coonestar com a fraude, se para tanto, os eleitores mortos vierem a ser contabilizados. O TRE-AC precisa ficar atento a esta questão, afinal de contas, pelo que se sabe forçar um segundo turno, ainda que, contando com os eleitores mortos, é uma das alternativas que vem sendo defendida por alguns dos pretensos candidatos.

Ao revelar que o PP tenta prejudicar, principalmente, o candidato Sérgio Petecão, o jornalista Leonildo Rosas foi muito além dos limites tolerados, enfim, acabou fazendo a defesa dos eleitores mortos, esquecendo-se que eles precisam tão somente de boas recordações, de rezas e de orações. Não se trata de ganhar ou de se perder no tapetão. O feio, extremamente feio, seja qual for o propósito, é fazer a defesa dos eleitores mortos, sobretudo para atender interesses subalternos.

Se os funcionários fantasmas contribuíram, decisivamente, com a estupenda votação obtida pelo candidato Sérgio Petecão quando disputou sua última eleição, o mesmo não ocorrerá quando da disputa pela prefeitura de Rio Branco. Chega de fantasmas! Sejam eleitores ou sejam funcionários.
A escrita do juiz
O juiz aposentado Rivaldo Guimarães Batista fez sua estréia como articulista do jornal Página 20, neste domingo.

Foi para cima do tucano Tião Bocalom.

Leia o texto muito bem escrito abaixo:

O homem que errou o caminho

O rechonchudo Élson Dantas intimou-me a escrever um artigo para este domingo. É uma tarefa árdua, tendo em vista que há muito tempo não redijo absolutamente nada (até o preenchimento de cheque foi substituído pelo cartão de crédito). Agora a trágica pergunta: escrevinhar sobre o quê? Justiça? - essa não se modificou, não tem novidade, ainda navega ao sabor das ondas de inspiração imperial; Igreja? – se católica, o nosso bravo Bento XVI não aceita qualquer avanço para adequá-la ao mundo moderno; se evangélica (não me refiro àquelas pegue-pague), corro o risco de confundir o pastor com um político.

Penso no futebol, mas logo desisto porque já faz algum tempo que não assisto a qualquer jogo deste esporte no Acre; se do carioca, os jornais são abundantes no noticiário... Pronto: achei o que queria. Não vou escrever sobre política (matéria que não me atrai), mas sobre um político em especial: o auto intitulado cacique do PSDB acreano e líder dos povos acrelandenses Sebastião Bocalon.

A impressão que me dá é que esse cidadão errou o caminho. Esperto e oportunista, ele deveria ter ficado em Rondônia. Lá, pessoas de sua estirpe se deram bem. Com um pouco de esforço e algum investimento, assumiram o governo, dominaram a assembléia legislativa, se infiltraram no judiciário, tornaram-se grandes empresários, donos de televisões e de jornais, e ainda comandam (alguns) o narcotráfico. Enquanto isso, o rondoniense nativo ficou a chupar os dedos...

A trajetória de Bocalon em terras acreanas, segundo consta, começou quando migrou para a incipiente vila Redenção, hoje Acrelândia. Ali foi montar uma serraria, aproveitando-se da vasta matéria-prima existente na área (aliás, a sede do município surgiu dentro da reserva florestal demarcada pela COLONACRE na implantação do projeto). Neste projeto o governo da época procurou evitar as distorções verificadas em outras colonizações: construiu ramais pavimentados com piçarra, escolas de 1º grau, posto de saúde com enfermeiro residente, revenda de insumos, armazéns que operavam, inclusive, EGS e AGF; edificou pontes, fez bueiros, além de construir diversos açudes nas propriedades dos parceleiros.

Com essa infra-estrutura montada, os colonos começaram a produzir alimentos em alta escala e isso favoreceu o aglomerado humano que acorreu para aquela área. Transformada em município no governo Edmundo Pinto, eis que o nosso personagem, coligado com a frente popular, elege-se prefeito da cidade e a partir de então Bocalon se arvora de líder municipal e principal responsável pela pujança de Acrelândia. Ao fazer tais afirmações, ele tomou para si o resultado de um trabalho feito por muitos que ajudaram a consolidar o projeto Redenção. Tenho fundadas dúvidas quanto à sua capacidade administrativa, haja vista que esse arrivista passou quatro anos como secretário de agricultura no governo Jorge Viana e até hoje não disse, ainda, o que foi fazer ali.

Agora, Bocalon resolve lançar-se candidato a prefeito de Rio Branco. Cá com meus botões, é muita pretensão deste oportunista travestido de empresário e político. Ainda bem que o povo acreano, diferentemente do rondoniense, não aceita e nem acata esses “salvadores da pátria” sem escrúpulos e sem noção de ridículo.

Em resumo, acredito que Bocalon passou do ponto. Ele deveria ter descido do ônibus na parada de Porto Velho. Lá, pelo menos, ele iria encontrar identidade para o seu ego megalomaníaco.

Dizia minha avó de saudosa memória: o pior idiota é aquele que pensa que todo mundo é idiota..

sábado, 12 de abril de 2008

A maratona da
filha de Chico Mendes
Elenira Mendes, a filha do líder ambientalista Chico Mendes, está numa corrida olímpica para manter acessa a chama que ilumina a história do seu pai.

Como uma guerrilheira, está hoje em Bogotá, na Colômbia, para conversar com integrantes da banda mexicana Maná. Leia mais no blog do Altino –
www.altino.blogspot.com.


A filha de Chico Mendes pode entrar numa corrida também muito difícil: a disputa para a prefeitura de Xapuri.

Será necessário ter o fôlego de maratonista para superar as barreiras que terá pela frente.

A foto é de Marcos Vicentti.



Química imperfeita
Esse aviso mal-educado foi afixado na porta do Conselho Regional de Química, no Bairro José Augusto.

A pessoa sobre a qual os conselheiros ignoram o paradeiro é a ex-secretária estadual de Saúde Grace Rocha, que tinha consultório no local.

Essa química imperfeita entre a entidade e o público foi registrada pelo estudante de Jornalismo Tácio de Brito Júnior.


Mulher de Chico na Globo
Informa o jornalista Altino Machado – www.altino.blogspot.com – que, nesta segunda-feira, o repórter Vinícius Dônola, do Fantástico, da Rede Globo, estará em Rio Branco para entrevistar a viúva de Chico Mendes, Ilzamar Mendes.

Vem confusão midiática para mais de uma semana e dores de cabeça para o pessoal do Governo da Floresta.

Recentemente, Ilzamar Mendes concedeu entrevista ao próprio Altino Machado.

O que ela disse ganhou repercussão pelo mundo a fora, principalmente às críticas que fez aos ex-companheiros do seu esposo.

Segundo Ilzamar, Chico Mendes, entre outras coisas, não estaria mais no PT, caso não tivesse sido assassinado.

O que dito à uma emissora do quilate de Rede Globo repercute muito mais. Basta ela repetir o conteúdo do que declarou ao Altino.

sexta-feira, 11 de abril de 2008

A malária sobe e desce o JuruáA malária viaja até pelos rios no Vale do Juruá.

O governo tem demonstrado esforço para combater a doença, mas o mosquito transmissor é difícil de ser derrotado na região. É quase imbatível. Os casos surgem em grande escala todos os dias.

O repórter fotográfico Marcos Vicentti flagrou a paciente tomando soro dentro de uma canoa.

São as “ambulanchas” em operação.
Aumenta a procura por
antenas parabólicas Logo que entrou em funcionamento a Portaria n º 1.220/2007, do Ministério da Justiça, que regulamenta os horários de exibição das programações nas emissoras de televisão, o editor do blog previu que um dos primeiros efeitos seria o aumento da venda de antenas parabólicas.

Acertei em cheio.

Somente numa loja pesquisada pela jornalista Renata Brasileiro, a quantidade de clientes atendidos saltou de 60 para 150, por dia.

O prazo para a instalação das antenas, que antes era até 24 horas, saltou para 72 horas.

Os preços superam aos R$ 600 reais.

A conclusão que se chega é que, mais uma vez, os pobres saem perdendo, haja vista que não terão condições de adquirir o aparelho que possibilita assistir aos programas via satélite.

A matéria completa será publicada na edição do jornal Página 20 de amanhã.

A foto é de Odair Leal

Oposição de olho nos vivos

Operação caça-fantama do PP falha
O deputado federal Sérgio Petecão (PMN) foi à sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para buscar informações sobre a representação do PP, que apresentou 3.743 atestados de óbitos para tentar impedir a realização do segundo turno em Rio Branco.

Pré-candidato a prefeito, Petecão foi acompanhado dos deputados estaduais Luiz Calixto (PDT), Luiz Gonzaga (PSDB) e Chagas Romão (PMDB). Também compareceram os vereadores Rodrigo Pinto (PMDB), Pedrinho Oliveira (PMN) e Bete Pinheiro (PPS).

Os parlamentares conversaram com o corregedor do TRE, desembargador Arquilau de Castro Melo.

Foram informados que a Justiça Eleitoral já analisou 500 atestados de óbitos e apenas cinco não haviam sido registrados em cartório. A tendência é que essa média de 1% seja mantida.

Arquilau afirmou aos parlamentares que são grandes as possibilidades de haver dois turnos nas eleições municipais deste ano. Segundo ele, a Justiça Eleitoral está reforçando o trabalho para cadastrar novos eleitores.

Somente em dois dias, na Escola Glória Perez, foram cadastrados 600 novos eleitores.

Pelo jeito, a Operação Caça-fantasma do PP falhou e os vivos vão vencer os mortos.
Fátima Cleide, senadora
rondoniense com olhar amazônico A senadora rondoniense Fátima Cleide (PT) está em Rio Branco.

Veio para receber a Medalha do Mérito Comercial da Amazônia, concedida pelas Federações do Comércio da Região Norte.

A parlamentar concorreu ao governo de Rondônia nas eleições de 2006. Perdeu para o governador Ivo Cassol, que derramou dinheiro para se reeleger.

Fátima Cleide é uma das responsáveis pelo crescimento PT rondoniense. Em 1998 concorreu a primeira vez ao Senado, mas teve sua candidatura impugnada. Mesmo assim, seu partido elegeu quatro deputados estaduais e dois federais.

Nas eleições de 2002, obteve a vitória contra políticos tradicionais, como o atual líder do PMDB no Senado, Valdir Raupp.

A parlamentar foi presidente regional do PT por três mandatos. Foi dirigente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e entrou na política por meio do Sindicato dos Trabalhadores em Educação. Também tem base no movimento de mulheres e ambiental.

Fátima Cleide é uma política rondoniense que tem olhar amazônico, ao contrário da maioria dos políticos que fez carreira no seu Estado.

Espera os resultados das eleições deste ano, principalmente na reeleição do prefeito de Porto Velho, Roberto Sobrinho, para se posicionar sobre o futuro. Em conversar com o editor do blog, deixou escapar que, em 2010, pretende concorrer novamente ao governo de Rondônia. Será uma alternativa qualificada.

“No passado, o nosso problema em Rondônia era a falta de nomes. Atualmente, temos várias pessoas qualificadas. Queremos ganhar o governo para implementar um projeto com a visão amazônica.








A estrela acreana no Miss BrasilAs 27 mulheres mais bonitas do Brasil irão disputar, no próximo domingo, (às 18h30, horário do Acre, com transmissão da TV Bandeirantes), o Concurso Miss Brasil 2008.

O Acre será representando pela morena Achermar Castro.

O nome da moça vem do árabe e significa Estrela.

A nossa estrela concedeu entrevista ao Tablóide. Leia aqui.

Vamos todos torcer para que ela consiga ao menos o desempenho da belíssima Maria Claúdia Barreto, que ficou na segunda colocação em 2006. Veja.







quinta-feira, 10 de abril de 2008

Binho na Álcool Verde
O governador Binho Marques está, neste momento, na Usina Álcool Verde, na BR-364.

Foi tratar da liberação para que o empreendimento comece a funcionar.

É sinal de que o governo do Estado, o Ministério Público Estadual e os sócios da usinas chegaram a um acordo sobre as exigências ambientais.

Publicarei informações mais detalhadas em breve.
Sessão rapidinha
Não durou três minutos a sessão de hoje na Aleac.

Evangélico, o vice-presidente do Legislativo estadual, Helder Paiva (PR), abriu e encerrou os trabalhos em nome de Deus. O plenário estava praticamente vazio.

Vários deputados estão viajando para fora do Estado.

O presidente do poder, Edvaldo Magalhães, participa de seminário do PC do B, em Brasília.

O primeiro-secretário, Juarez Leitão (PT), e outros deputados participam do encontro do Parlamento Amazônico, em Macapá (AP).

Outros parlamentares, principalmente da base aliada, evitaram comparecer à Aleac para não ter que debater com a oposição sobre a derrubada do requerimento que convocava a diretora do Instituto de Administração Penitenciária, Laura Okamura, para dar explicações sobre denúncias de maus-tratos a detentos.

Consulta sobre mudança de
fuso é exercício democrático
O jornalista Altino Machado –
www.altino.blogspot.com – propõe que seja feita uma consulta popular antes de o presidente Lula sancionar a decisão do Senado que altera o fuso horário no Acre.

Essa proposta foi apresentada pelo senador Tião Viana (PT), que pegou carona de algo semelhante apresentado na Assembléia Legislativa do Acre (Aleac) pelo deputado comunista Moisés Diniz.

Diniz não recebeu o crédito, mas estava no caminho certo. O parlamenta, antes que qualquer alteração, defendia fosse feita consulta ao povo sobre a mudança. Coisa que não foi feita pelo senador.

Agora, como defende Altino Machado, o senador petista, que é vice-presidente do Senado, poderia utilizar o seu prestígio político para que pedir que o presidente não sancione o projeto de lei até que o povo seja ouvido.

Outro blogueiro que faz um relato interessante é Evandro Ferreira –
www.ambienteacreano.blogspot.com - Vale a pena ler.