segunda-feira, 28 de abril de 2008

Festa no interior

Não há o que comemorar em 10 municípios
Há várias curiosidades sobre os dez municípios que completam 16 anos de emancipação política e administrativa hoje. Uma delas é que vários atuais prefeitos foram os primeiros administradores das localidades. Sãos os casos de Epitaciolândia, Marechal Thaumaturgo, Jordão e Rodrigues Alves.

Em todos os lugares haverá uma semana de festas, mas, analisando bem a situação de um desses municípios, não há o que festejar.

Esses municípios, principalmente os mais distantes, foram protagonistas de vários escândalos administrativos em tão pouco tempo. Alguns tiveram os seus prefeitos cassados ou condenados por improbidades.

José Ronaldo perdeu o mandato em Epitaciolândia, João Asfury em Porto Acre. Leandro Tavares e Vanderlei Sales têm condenações na Justiça e não podem concorrer em Marechal Thaumaturgo e Porto Walter, respectivamente. Em Jordão, Esperidião Menezes Júnior foi cassado e o seu sucessor, Turiano Farias, cometeu suicídio.

Primeiro governador constitucional do Acre, José de Augusto de Araújo tinha visão futurista. É tanto que, em 1963, criou os municípios de Mâncio Lima, Assis Brasil, Manuel Urbanos, Plácido de Castro e Epitaciolândia. Como fora cassado, Araújo não pôde instalar suas criações.

Os municípios criados por José Augusto foram instalados 13 anos depois, em 1976, pelo então governador Geraldo Gurgel de Mesquita. Apenas Epitaciolândia que levou mais tempo para ganhar sua autonomia.

A situação dessas localidades é semelhante à dos jovens que têm 16 anos: estão aptos a votar, mas não são considerados com maturidade suficiente para dirigir.

Os municípios não encontraram uma direção segura.