quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Artigo

A quem interessa enfraquecer

os petistas do Acre?

Usando setores da imprensa nacional, o Ministério Público Federal voltou a ligar as baterias aéreas e jurídicas contra lideranças petista do Acre, como o senador Jorge Viana e o ex-governador Binho Marques.

Os procuradores da República encontraram espaço na mídia para reabastecer o noticiário com a história da compra do helicóptero pelo governo do Estado. Leia aqui.

A denúncia é que o governo acreano favoreceu a Helibras para adquirir a aeronave. A investigação é legítima. O que não é legitima é a condenação sem julgamento.

Essa história do helicóptero precisa de exemplos.

Toda a frota do governo de São Paulo (mais de 20) foi adquirida na Helibras.

A Helibras tem o governo de Minas Gerais como um dos principais acionistas. 25% das ações pertencem aos mineiros.

São Paulo e Minas Gerais são administrados pelos tucanos. O PSDB caminha para 20 anos no poder do maior Estado do Brasil.

Toda essa implicância com o helicóptero começou quando os procuradores exigiram a retirada da estrela vermelha que adorna a aeronave. O então governador Binho Marques se negou a seguir a recomendação.

Agiu certo. A estrela está na bandeira do Acre criada pelo espanhol Luiz Galvez. É um símbolo de todos os acreanos e não de uma sigla partidária, como querem supor os membros do parquet federal.

É um direito dos procuradores querer explicação sobre a boa aplicação dos recursos públicos. Essa é uma das suas principais atribuições constitucionais.

Atribuição constitucional à parte, não dá para deixar de estranhar a sucessão de ações contra os petistas acreanos.

Fica a impressão de que essas movimentações viraram também uma questão de cunho pessoal.

Os políticos-alvos cometeram erros como qualquer ser humano. É normal que haja muita gente que discorde das suas posições. Isso faz parte da democracia.

São seres humanos como qualquer outro. Cometem erros e acertos.

O que não se pode negar é que essa turma simboliza a mudança positiva operada no Acre nos últimos 12 anos.

Sob comando desse grupo político o Acre saiu da ilegalidade. Deixou de ser manchetes nas páginas policiais para ser destaque como um Estado que faz a boa política com respeito à natureza e ao erário.

É um pessoal que fez uma limpeza no Estado, contribuindo para resgatar a autoestima do povo acreano. Isso jamais pode ser desconsiderado.

O escriba pode estar errado, mas há outras coisas bem mais complexas por traz de toda a história.

Parece que estão querendo jogar os petistas acreanos na vala comum dos políticos, para passar à população local, nacional e mundial que eles são igual aos outros.

Igualando-os ficará mais fácil atingi-los porque não terão mais o escudo sagrado da proteção popular, da ética e da moralidade.

Resta saber até que ponto isso vai ajudar ao Acre.

Foi por mostrar ao país políticos do quilate do Jorge Viana, Marina Silva, Binho Marques e Tião Viana que as portas se abriram para o nosso Estado.

Se pessoas como essas forem igualadas ao que há de pior na política nacional as portas podem se fechar. É certo como dois mais dois são quatro.

O Ministério Público Federal é fundamental como guardião da legalidade, mas também erra.

Em meados da década de 1990, chegou ao Acre o procurador da República Luiz Francisco de Souza Fernandes. Foi fundamental para trazer o Estado à legalidade, quando enfrentou o crime organizado.

Luiz Francisco não teve o mesmo desempenho quando fez acusações infundadas contra o hoje vice-presidente nacional do PSDB, Eduardo Jorge Caldeira.

Foi comprovado que o procurador não estava certo e que fez o uso da imprensa para difundir as suas acusações. Foi punido por isso.

Eduardo Jorge, alias, escreveu o seguinte no livro “Era dos Escândalos”, de Mário Rosa:

“A lógica dos justiceiros, que inicialmente ganham simpatia popular, é executar a tarefa de “limpar a sociedade”, é a mesma que faz representantes da imprensa e do Ministério Público deferirem golpes mortais na honra de um suspeito – ou melhor, daqueles a quem consideram suspeitos – antes que o devido processo legal ou mínino de evidências o tenha incriminado”.

7 comentários:

Duda Marques disse...

Muito bom, Léo. É isso mesmo.

Gleison disse...

Como tenho dito, você domina a escrita e como poucos demonstra com clareza aspectos pouco conhecidos da população em geral.

salvador disse...

É triste, como cidadão, ver como alguém que se diz jornalista publicar algo dessa natureza. Por essas e por outras que já falaram que, aqui no Acre, não há profissionalismo na imprensa, o que discordo. Mas quando se lê algo como o postado nesse blog dá até para acreditar na afirmativa.
Com um blogueiro desses o governo nem precisa de procurador do Estado e muito menos de imprensa oficial.
Caro jornalista, deixemos o MPF trabalhar, é papel dele fiscalizar. Se não provar o alegado não terá sucesso perante o judiciário, a ação será julgada improcedente, isso é normal em um estado de direito.
O que não é normal é um "jornalista" se dar ao trabalho de publicar uma verdadeira defesa do governo e do partido que está no poder. Não esqueça de que amanhã outros o exercerão.
E você, será que irá defendê-los com tanto ímpeto?

Gabriel disse...

Até ia lhe parabenizar por haver contraditado a Polícia Federal e o Ministério Público federal, em defesa dos vianas, na mesma medida que fazem aliados e fieis escudeiros na política. Mas não o fiz por dois motivos. O primeiro, porque o nobre "Jornalista" não é político. Portanto, não é função de jornalista defender políticos no poder. Segundo, como é pago para isso, apenas exerce o dever de ofício em defendê-los. Aposto um braço como se não recebessem verbas do governo não estaria fazendo essa magnífica defesa.
Caro leonildo, ninguém tem carta branca para enriquecer só porque melhorou o estado. O povo votou nele para melhorar sem corrupção. Ou você acha que isso é correto? Enriquecer na política? Ou você acha que o Jorje Viana não está Rico? Ou você acha que ele teria hoje o mesmo patrimônio se estivesse fora da política? Acorda meu caro! Quer enriquecer? Vai para a vida privada, prestar concurso ou exercer a função de engenheiro. Sempre repudiamos aqueles que usaram a política para vencer na vida. Jorge Viana é cobrado na mesma altura do seu discurso que lhe fez chegar ao poder: combater a corrupção. Ou será que só é corrupção aquilo feito pelo outro?
Leonildo, dou-lhe mais um conselho: deixa o jorje gastar um pouquinho do seu gordo patrimonio com um bom advogado! Falou?

Gustavo disse...

é lamentável ver os jornalistas do acre servir de fantoche para os clã dos vianas e a população ainda ter que acatar o que eles dizem. Caro Lenildo o MP como diz o art.127 da Carta Magna, é uma instituição permanente, essencial á função jurisdicional do Estado,incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais indisponíveis, portanto o MP esta cumprindo o seu papel de fiscal da lei em inverstigar os petralhas.

Leonildo Rosas disse...

O espaço é tão democrático, que permite até quem usa pseudônimo fazer agressões ao blogueiro. Enquanto os comentários mantiverem o mínimo de civilidade serão publicados.

ISAAC RONALTTI disse...

Amigo Leonildo, só uma pequena retificação a uma informação fornecida no seu texto: a estrela da bandeira do Acre é posterior a Galvez, não existia em sua época. Ela foi inserida já no processo revolucionário liderado pelo caudilho Plácido de Castro. Um grande abraço do amigo Historiador!